Neuropatia Diabética: Prevenção e Tratamento
Foto Wilton de Andrade
Escrito por
Wilton de Andrade
Última atualização
12/03/2024
Logo da Pill

Neuropatia Diabética 

A presença de níveis inadequados de glicose no sangue e outros fatores que ocorrem frequentemente em pessoas com diabetes (hipertensão arterial, hipercolesterolemia etc.) podem alterar as fibras nervosas, dando origem a um grupo de distúrbios que têm características específicas, dependendo dos nervos afetados, e são conhecidos como neuropatias diabéticas.

Há vários tipos de neuropatia diabética que podem afetar diferentes áreas do corpo, causando diferentes sintomas. Criamos esse artigo para você que tem diabetes; saiba o que é, entenda as complicações dessas condições e esteja ciente de quando entrar em contato com o médico se tiver algum sintoma de neuropatia diabética.

 

O que é neuropatia diabética e causas

A neuropatia diabética é um tipo de lesão nervosa que pode ocorrer se você tiver diabetes. A diabetes alta no sangue pode danificar os nervos de todo o corpo. Essa condição diabética afeta com mais frequência os nervos das pernas e dos pés.

Considerada uma complicação grave do diabetes que pode afetar até 50% das pessoas com diabetes. É possível prevenir a neuropatia diabética ou retardar sua progressão conhecendo suas causas.

Embora os mecanismos íntimos pelos quais isso ocorre não sejam totalmente conhecidos, sabemos que a fibra nervosa é estruturalmente modificada pelo acúmulo de substâncias derivadas do metabolismo excessivo da glicose, o que leva à perda do revestimento normal das fibras nervosas: a mielina.

A neuropatia pode levar a complicações nos pés, como feridas, úlceras e infecções, porque o dano ao nervo pode fazer com que a pessoa perca a sensibilidade nos pés. Como resultado, a pessoa pode não perceber que os sapatos estão causando uma ferida ou que ela machucou os pés. A lesão nervosa também pode causar problemas de equilíbrio e coordenação, levando a quedas e fraturas.

Ademais, essa doença também traz problemas com a frequência cardíaca, pressão arterial e digestão, além de problemas com a micção e a capacidade de detectar quando os níveis de glicose no sangue estão baixos.

Esses problemas podem dificultar a locomoção da pessoa, fazendo com que ela perca parte de sua independência. Em algumas pessoas com diabetes, a lesão nervosa causa dor crônica, que pode levar à ansiedade e à depressão.

 

Sintomas e diagnóstico precoce

Os sintomas dependem do tipo que você tem e dos nervos afetados. Os sintomas geralmente aparecem progressivamente. Talvez você não perceba que algo está errado até que ocorra um dano significativo ao nervo. Há quatro tipos principais de neuropatia diabética. Você pode ter um ou mais tipos de neuropatia.

Neuropatia simétrica periférica

Esse tipo de neuropatia também pode ser chamado de neuropatia periférica simétrica distal. É o tipo mais comum de neuropatia diabética. Ela afeta primeiro os pés e as pernas, seguidos pelas mãos e braços. Os sinais e sintomas da neuropatia periférica geralmente são piores à noite. Eles incluem os seguintes:

  • Dormência e redução da capacidade de sentir dor ou de perceber mudanças de temperatura;
  • Sensações de formigamento ou queimação;
  • Cãibras ou dores agudas;
  • Fraqueza muscular;
  • Extrema sensibilidade ao toque (para algumas pessoas, até mesmo tocar nos lençóis da cama pode ser doloroso);
  • Problemas graves nos pés, como úlceras, infecções, lesões ósseas e articulares.

Neuropatia autonômica

O sistema nervoso autônomo controla a pressão arterial, a frequência cardíaca, a transpiração, os olhos, a bexiga, o sistema digestivo e os órgãos sexuais. O diabetes pode afetar os nervos em qualquer uma dessas áreas e é provável que cause os seguintes sinais e sintomas:

  • Ausência de sintomas de baixo nível de glicose no sangue (hipoglicemia assintomática);
  • Queda da pressão arterial ao se levantar depois de ficar sentado ou deitado, o que pode causar tontura ou desmaio (hipotensão ortostática);
  • Problemas na bexiga ou no intestino;
  • Esvaziamento lento do estômago (gastroparesia), causando náusea, vômito, sensação de plenitude e perda de apetite;
  • Dificuldade para engolir;
  • Alterações na maneira como seus olhos se ajustam à luz ou à escuridão, ou à visão de perto ou de longe;
  • Aumento ou diminuição da transpiração;
  • Problemas com a resposta sexual, como falta de lubrificação vaginal e disfunção erétil.

Neuropatia da raiz torácica e lombar ou proximal

Esse tipo de neuropatia geralmente afeta os nervos das coxas, quadris, nádegas ou pernas. Também pode afetar o tórax e a área abdominal. Os sintomas geralmente ocorrem em um lado do corpo, mas podem se estender para o outro lado. A neuropatia proximal pode incluir o seguinte:

  • Dor intensa na nádega, no quadril ou na coxa;
  • Fraqueza e atrofia dos músculos da coxa;
  • Dificuldade para se levantar de uma posição sentada;
  • Dor na parede abdominal ou torácica.

Mononeuropatias

A mononeuropatia refere-se a danos em um único nervo específico. Pode ser um nervo da face, do tronco, dos braços ou das pernas. A mononeuropatia pode causar o seguinte:

  • Dificuldade para focalizar a visão ou visão dupla;
  • Paralisia em um lado da face;
  • Dormência ou formigamento na mão ou nos dedos;
  • Fraqueza na mão, o que pode fazer com que você deixe cair objetos;
  • Dor na panturrilha ou no pé;
  • Fraqueza que dificulta a elevação da parte frontal do pé;
  • Dor na parte frontal da coxa.

 

Estratégias de tratamento e controle da glicemia

A neuropatia diabética pode ser evitada com frequência se você monitorar diligentemente a glicose normal no sangue. Para fazer isso, você deve seguir estratégias consistente:

  • Monitorar seus níveis de glicose;
  • Tomar seus medicamentos conforme prescrito;
  • Controlar sua dieta;
  • Ser ativo.

Se você desenvolver neuropatia diabética, trabalhe em estreita colaboração com seu médico e siga suas recomendações para retardar sua progressão. Com os cuidados adequados, você pode reduzir os danos aos nervos e evitar complicações.

Contudo, se você já possui essa condição, tenha cuidado redobrado. Sendo assim, uma pessoa tem neuropatia diabética, ela deve controlar o diabetes, o que significa controlar a glicemia, a pressão arterial, os níveis de colesterol e o peso para evitar que o dano ao nervo piore. O paciente pode fazer isso através de uma dieta balanceada e exercícios físicos, que segundo a SBC - Sociedade Brasileira de Cardiologia - ajuda a regular a glicose no sangue.

O cuidado com os pés é muito importante para todas as pessoas com diabetes, e é ainda mais importante se a pessoa tiver neuropatia periférica. A pessoa deve verificar se há problemas em seus pés todos os dias e cuidar bem deles. Você também deve consultar seu médico para fazer um exame neurológico e um exame dos pés pelo menos uma vez por ano, e com mais frequência se tiver problemas nos pés.

 

Mitos e verdades sobre a cura do diabetes

Em meio a tantas informações recebidas e passadas de pessoa para pessoa, surgem muitas notícias falsas, a principal delas é se o diabetes tem cura. Pensando nisso, separamos 4 mitos e verdades sobre a doença, veja agora.

O diabetes pode ser curado? 

Atualmente, não há cura para o diabetes. No entanto, o que sabemos sobre a doença está em constante evolução, novas tecnologias e medicamentos estão em desenvolvimento e os pesquisadores estão fazendo avanços importantes.

Todos os pacientes com diabetes são obesos?

Não. Falso. Uma pessoa com peso corporal normal não está isenta de sofrer de diabetes, aliás o diabetes se manifesta com a perda de peso.

Se eu tiver diabetes em minha família, posso ser diabético?

Sim, é verdade. O risco de diabetes é maior em pessoas que têm parentes de primeiro grau com diabetes, mas o risco pode ser controlado com hábitos de vida saudáveis e check-ups médicos.

A medicina alternativa cura o diabetes?

Não. Falso. O diabetes é uma doença crônica que não pode ser curada, mas pode ser controlada. É uma doença multifatorial em que o estilo de vida ruim é a principal causa e, portanto, não há medicamento que possa combater a dieta excessiva e a falta de atividade física.

O uso de insulina leva à cegueira?

Não, não leva. O que causa a cegueira é a progressão do diabetes quando ele não é controlado. A insulina é um medicamento seguro que é necessário quando o funcionamento do pâncreas está prejudicado.

 

Como lidar com a neuropatia

Dependendo do tipo de neuropatia, o médico pode sugerir medicamentos, terapias ou mudanças no estilo de vida que podem ajudá-lo a lidar com os sintomas e evitar complicações.

Por exemplo, se você tiver problemas de indigestão em decorrência da neuropatia, o médico poderá sugerir refeições menores com mais frequência e limitar a quantidade de fibras e gorduras em sua dieta.

Portanto, o único método de cura é a prevenção, conhecendo como ocorre, você vai estar ciente do que é a neuropatia e o diabetes, assim evitando o surgimento dessas condições na sua vida.

 

Pill, somos a parceria ideal para a sua saúde

Na Pill, nosso foco é em melhorar a vida das pessoas, democratizando o acesso à saúde e aos serviços da farmácia. Nós nos preocupamos com nossos pacientes e queremos fazer parte do seu cotidiano, facilitando sua vida. É um prazer cuidar todos de vocês.

Para ser atendido, basta mandar a sua dúvida no nosso WhatsApp: (11)99999-0380. Visite nosso site e monte sua cesta de remédio e coloque tudo no automático com o nosso serviço de Compra Recorrente: pill.com.br, sua caixa de remédio renovada todo mês.

Observação: este conteúdo não se destina a substituir aconselhamento, diagnóstico ou tratamento médico profissional. Sempre procure o conselho de seu médico ou outro profissional de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter sobre uma condição médica.

 

Produtos relacionados

 

FAQ: perguntas frequentes sobre neuropatia diabética